Deixa-me esquecer-te

Deixo a morte de bela que é vencer-me o cansaço
Deixo o sono levar-me para longe do teu abraço

Deixa-te de mim

Que o sonho que nos uniu se evaporou
E as memórias escreveram no fumo o que ficou

Perdi-te no meio do nada

E do nada as cinzas levaram-te numa alvorada
As palavras fugiram por entre os dedos de outra amada

Do éter que te trouxe ao éter que te roubou

A saudade que fica não traz mais memórias
Essas ficaram com quem as levou

Deixa-me de ti

Leva contigo a tatuagem que rasgou-me a pele
Guarda-me no peito para que me revele
Aos olhos de ti
Nos sonhos que perdi
Que seja a saudade a guiar-te na vida
Que afogue a amargura que deixas nos lábios
Na despedida